CN Tower: o maior símbolo de Toronto 

Quem mora em Toronto vive tirando fotos dela. Há sempre um ângulo novo para fotografá-la ela pode ser vista mesmo quando você está bem longe. Para alguns, como eu, ela serve de bússola e faz com que seja muito mais fácil se localizar na cidade. Sim, eu tô falando da CN Tower (Canada’s National Tower), o principal símbolo de Toronto. 

Eu já havia feito um post sobre a torre, mas esqueci completamente que o havia escrito. Ontem, após ler umas mensagens e ver que um leitor me pedia para postar algo sobre este cartão-postal que está frequentemente nas minhas fotos, eu fiquei super ansiosa e desandei a escrever sem nem checar os posts antigos. Típica Aritta. 

Quando eu digo que sou meio desnorteada e atrapalhada, muita gente acha que estou exagerando. Mas, tudo tem um lado bom. Na época em que escrevi o post eu tinha uma outra opinião e achava a atração turística meio sem graça. Hoje, apesar de ainda achar que você não deve criar muitas expectativas antes de visitá-la, acredito ser essencial acrescentar o local na sua lista de pontos turísticos para visitar durante a passagem pela cidade. 

Então, aqui está um post novo e inteirinho dedicado ao meu xodó que é a CN Tower.  

 

A torre é a terceira maior do mundo
 

A torre levou 3 anos para ser construída (1973-1976), possui 553,33 metros de altura (pense em um prédio de uns 150 andares) e teve um investimento de 63 milhões de dólares. Até 2007 era considerada a mais alta do mundo. Atualmente fica em terceiro lugar, após a construção do Canton Tower, na China, e do Burj Khalifa, em Dubai, que apesar de ter sido inaugurado em 2010, ultrapassou em dois metros a CN Tower três anos antes de ser finalizado. 

 

 Final de tarde em downtown Toronto com a Cn Tower ao fundo

  

  Dá para usar a criatividade e capturar a torre de diversas formas 
 
 Sombra da Cn Tower em um prédio no centro da cidade

Ao visitar a torre você terá a opção de observar a cidade em 3 andares diferentes. São seis elevadores com vista panorâmica e com direito àquela pressão no ouvido. 

Em menos de um minuto você chega ao primeiro andar – e também o mais famoso – que é o Glass Floor. 

Ele fica a uma altura de 342m e possui o chão de vidro, onde você vai se empolgar com a adrenalina de ver a cidade aos seus pés, ou morrer de medo ao olhar pra baixo (como euzinha). 

 

 Certeza que eu tirei essa foto sem olhar pra baixo hahaha

Um nível acima, a 346m de altura, fica o Lookout Floor e o Sky Terrace com grandes janelas, binóculos e um restaurante. Evite ir em dias de muito vento, já que neste andar a observação é feita através de janelas sem vidro, mas com telas de proteção.  Lá também fica a lojinha de fotografia (sempre caras, mas  uma boa lembrança). 

O terceiro andar é o Sky Pod, a 447m de altura. Em dias com céu limpo e uma ótima visibilidade é possível avistar Niagara Falls e até Nova Iorque. Confesso que nas vezes em que visitei a torre eu não fui nesse andar. O ingresso é cobrado a parte, se não me engano no valor de $12. E como eu já havia curtido bastante a experiência de ver a cidade lá do alto, e também porque eu morro de altura, não fui. 

Para os mais corajosos e aventureiros, a CN Tower oferece o Edge Walk. Por um valor meio salgado ($195), você pode caminhar durante 20-30 minutos numa plataforma a 356 metros de altura. A aventura tem um tempo total de uma hora e meia, entre instruções, vídeos a caminhada do lado de fora. O valor dá direito a fotos, vídeo e também a visita nos outros andares da torre. 

P.s: Meu sonho fazer isso um dia, sem ter um ataque do coração, óbvio. 

CN Tower iluminada

Uma coisa que me intrigou bastante logo que cheguei em Toronto foi a mudança constante das cores das luzes da CN Tower. Foi então que descobri que cada cor tem um significado em homenagem a diversos acontecimentos e datas importantes. 

  

Por exemplo, no dia 22 de abril a torre terá iluminação verde em homenagem ao “Earth Day” ou Dia da Terra. A lista completa com as cores e seus significados pode ser vista aqui. Acho isso fantástico! 

360 Restaurant 

Na torre fica também um dos restaurantes mais famosos do mundo. O 360 Restaurant é a típica atração que você precisa ir uma -só uma porque é bem caro – vez na vida para saber como funciona. 

O restaurante gira 360 graus em aproximadamente 72 minutos! Fui lá há um tempão e gostei bastante da experiência, apesar de achar a comida bem mais ou menos pelo valor cobrado. Pedimos uma entrada de frutos do mar, uma garrafa de vinho e dois pratos principais. O valor? Quase $300! Isso mesmo. A comida não era ruim, mas por muito menos eu comi pratos bemmmm melhores em Toronto. Vale pela experiência e pela vista fantástica – e suuuuper romântica. Ah, eles dão a opção de preço fixo (CAD$ 55 ou 67 para o almoço e $65 ou $75 para o jantar) ou à la carte. 

Infelizmente eu só achei uma foto, por sinal de péssima qualidade, tirada na noite em que fui ao restaurante. Porém, vou me programar – leia-se juntar dinheiro hahaha – para ir novamente. 

 

 360 Restaurant vista linda durante a noite


Curiosidades

  • Com o crescimento da cidade e a construção de prédios cada vez mais altos, surgiram problemas constantes de comunicação. Foi então que o projeto de construção da CN Tower foi criado. 
  • A antena da torre é responsável por transmitir sinais para toda a cidade. 
  • 1532 pessoas participaram da construção da torre, que subiu uma média de 6 metros por dia.

Dicas

Vir a Toronto e não visitar a Cn Tower é como ir ao Rio e não visitar o Cristo Redentor. Ou estar em Paris e não visitar a Torre Eiffel. Porém, algumas dicas devem ser levadas em consideração ao visitar o ponto turístico: 

  • Escolha um dia em que não haja muita neblina ou chuva. A visibilidade é maior. 
  • Caso possa optar, visite a torre durante a semana. Nos finais de semana (principalmente no verão) a fila pode ser grande. 
  • Se você for passar ao menos uma semana na cidade e deseja conhecer os principais pontos turísticos, compre o City Pass, um carnê com tickets para 5 atracões turísticas no valor de CAD$ 64 + tax. O ingresso para a Cn Tower custa $32 na portaria e $29 no site. 
  • Há descontos para estudantes com a carteirinha internacional e também para grupos. Confira no site todas as opções de desconto. 
  • Não compre souvenirs na lojinha da torre. Você pode achar produtos similares e bem mais baratos em outros locais, como na Chinatown. 

Como chegar

O endereço é 301 Front St. West. Pegue o metrô até a Union Station e caminhe por volta de 10 minutos em direção oeste. Como já falei no início do post, você vai ver a torre se aproximando e fica bem fácil chegar lá. 

🙂 

 

Seja bem-vinda, Primavera 

Gente, como assim eu postei mais cedo no blog e esqueci de mencionar um detalhe importantíssimo? Hoje começa a primavera no hemisfério norte! Aeeeeeeee!!! Finalmente, depois de dias frios que mais pareciam intermináveis, a estação das flores chegou. Pode até não tá tão quente, mas eu já cheguei num ponto em que qualquer coisa acima de 0 graus já é digno de comemoração. 

O início da primavera é também quando ocorre o equinócio (lembram das aulas de Geografia?) e os dois hemisférios posicionam-se igualmente em relação ao sol, recebendo a mesma quantidade de luz. Com isso o dia e a noite têm a mesma duração. 

Bom, deixando essa aula sobre equinócio de lado, porque eu bem sei que vocês não devem tá muito interessados nisso, vamos ao que interessa: hoje temos 4 graus, isso mesmo, QUATRO graus positivos. Tirei uma foto agorinha, às 6:30 da noite para mostrar como os dias já começam a ficar mais longos. 



A primavera já chegou linda



O lago Ontario está descongelando

Foi um presente para a minha pessoa ir caminhar na orla e ver esse dia lindo quando voltava do College, depois de uma aula chatérrima de contabilidade. Agora, dá licença que eu vou ali tomar uns drinks porque eu acabei de decidir que mereço relaxar um pouquinho. 

Beijocas 🙂 

Foto do dia: CN Tower de uma outra perspectiva 



Bom dia!! Na verdade, boa madrugada, já que são 4 da manhã. 

Acordei um pouco mais cedo do que o previsto e resolvi compartilhar com vocês esta foto, tirada ontem pela manhã, quando eu caminhava pelo centro da cidade. Queria mostrar uma forma diferente de fotografar a CN Tower, que aparece em forma de sombra em um dos prédios. 

A torre é linda de todos os ângulos e perspectivas, não é mesmo? 

Uma ótima semana para todos! 

🙂 

Comida brasileira, sorvete e parque: um domingo perfeito!

O verão já está quase acabando e eu tenho tentado curtir ao máximo cada raio de sol que ainda resta (olha o drama!).
Eu não caio de amores por domingo. Pra ser bem sincera, eu odeio domingo. Mas hoje o dia amanheceu lindo, um solzão do tipo que te convida a tirar a bunda do sofá e aproveitar o dia ao ar livre. E foi justamente o que eu e a minha roommate Flor fizemos!
Então, ao invés de escrever um post sobre alguma área específica ou restaurante em Toronto, vou contar um pouco sobre as nossas escolhas para curtir o dia de hoje!
Já fazia algum tempo que eu não almoçava em um restaurante de comida brasileira aqui em Toronto. Como estou sempre cozinhando em casa, não sinto falta de muitas coisas. Hoje eu acordei desejando comer carne (não sou vegetariana mas quase nunca compro carne pra fazer em casa) então resolvi ir ao Rio 40 graus que fica pertinho da rua em que moro, mas que eu raramente frequento.
O lugar está sempre cheio nos finais de semana, porém, não é difícil conseguir uma mesa. O serviço é sempre muito bom, mesmo quando o restaurante está lotado. O público quase sempre é só de brasileiros e portugueses, mas frequentado por canadenses também. A comida é boa (peço sempre a picanha com arroz, feijão, farofa e mandioca por $20) e, apesar do preço ser um pouco salgado, as porções são super bem servidas! Vale a pena!
A Flor estava comigo, mas não almoçou lá, por isso só deu pra tirar a foto do meu prato.

IMG_5581.JPG

IMG_5678.JPG

Logo após o almoço chamei a Flor para ir comigo numa loja na Ossington Ave., pois eu tava louca para comprar uma camiseta que tem a palavra “Turonno” na frente, fazendo graça da maneira como os canadenses pronunciam Toronto. Enfim, agora eu tenho a minha também, viu Ester? Hahaha

IMG_5679.JPG

O que aconteceu no caminho até a loja foi o que mais me deixou feliz no dia de hoje. Quem me conhece sabe da minha PAIXÃO por sorvete. Eu não sou fã de nenhuma outra sobremesa, mas basta colocar um pote de sorvete na minha frente e eu sou capaz de acabar com ele em uma horinha.
Passamos por uma fila gigante e eu curiosa que sou perguntei logo o que estava acontecendo. Quando a moça disse: “É UMA SORVETERIA” a Flor já sabia o que isso significava. E lá foi ela (que também adora um sorvete) esperar comigo na fila de um pouco mais de meia hora. O lugar se chama Bang Bang Ice Cream and Bakery (93, Ossington Ave), mas deveria se chamar “PARAÍSO”. Gente, eu já havia ouvido falar sobre os sanduíches de sorvete de lá, mas nem sei porque não dei muita importância. O local abriu no início do verão e é simplesmente fantástico!!!! As filas são sempre gigantes, isso eu confirmei com algumas pessoas que estavam lá. Não há mesas, apenas alguns banquinhos na calçada. Mas a espera é recompensada.

IMG_5680.JPG

Cookies, waffles, donuts, macaroons… Você escolhe como montar o seu sanduíche. A boa notícia é que eles têm várias opções dairy-free. Os sabores mais pedidos são london fog – nome dado a um drink feito de chá preto com leite e baunilha- , muito popular aqui no Canadá; burnt toffee que tem sabor de marshmallow torrado e raspberry. Escolhi este último e, pra acompanhar, um donut recheado com hazelnut. O resultado foi este:

IMG_5631.JPG

IMG_5632.JPG

A Flor escolheu o cone de waffle com sorvete de banana…

IMG_5633.JPG

APROVADOS!!! Voltarei lá antes que eu seja capaz de queimar todas as calorias que ganhei hoje! Hahaha

E logo após a nossa fantástica experiência gastronômica, decidimos caminhar em direção à Queen Street e aproveitar o final da tarde. Paramos no Trinity Belwoods Park localizado entre a Queen St e a Dundas e um dos meus parques favoritos aqui em Toronto.
Como em todos os fins de semana de verão, o parque estava bem cheio. Diferentes tribos se espalhavam pelo gramado, fazendo piqueniques, tocando e cantando músicas, cachorros, crianças, enfim, um mix de gente que gosta de aproveitar dias de sol.

IMG_5670.JPG
Avistamos um grupo de pessoas que praticava slackline, um dos nossos mais recentes vícios, ainda que eu seja péeeeeessima. Nos aproximamos e descobrimos que grande parte do grupo era formada por brasileiros. E foi aquela festa. Passamos horas batendo papo com o pessoal e nem percebemos que já passava das 7pm quando decidimos voltar pra casa. O tempo passou voando.

Brasileiros e canadenses

IMG_5639.JPG

Ken praticando slackline

IMG_5682.JPG

Este foi, sem dúvidas alguma, um domingo sensacional! E é justamente isto que mais amo em Toronto: você vai sempre achar uma forma de se divertir e se surpreender, mesmo sem gastar muito dinheiro ou precisar planejar com antecedência. Basta deixar a preguiça de lado, tirar a bunda do sofá e explorar o que existe lá fora.

🙂

Kensington Market: o charme eclético e excêntrico de um dos meus lugares preferidos em Toronto

IMG_5441.JPG

O Kensington Market não é um lugar que encanta a todos. Muitos se decepcionam ao visitar o local pela primeira vez por acharem que iriam encontrar um outro tipo de “mercado”. O que encontram, na verdade, é um mercado a céu aberto, ruas com casas em estilo vitoriano, lojas e restaurantes alternativos, e um público que mistura hipsters, hippies, rastafaris e outras tribos. Então, se você é do tipo que não tem muita frescura, gosta de arte de rua, decorações em estilo vintage e adora garimpar brechós, lá é o seu lugar.
A área que abrange o Kensington Market vai do norte da College St., Spadina Ave ao leste, Dundas St. ao sul e oeste da Bathurst.

IMG_2573.JPG

O que mais gosto no Kensington Market é a capacidade que o local possui de sempre te surpreender com algo inusitado. Um dos meus lugares prediletos, por exemplo, é o bar chamado Cold Tea (60, Kensington Ave.) localizado no quintal de um dos prédios que abriga várias lojinhas. Você entra numa loja de produtos indianos e segue por um corredor até achar a porta de entrada do bar. O mojito de lá é sensacional! Mas não se engane, apesar da simplicidade do bar que tem um patio com cara de “acabamos de abrir e ainda estamos arrumando”, os preços são meio salgados.

São diversas opções de restaurantes ao longo das ruas, mas uma boa parte fecha cedo. Além disso, no inverno nem todas as lojas ficam abertas. Finais de semana, principalmente nos dias mais quentes, as ruas ficam cheias e os bares/restaurantes também.
Não deixe de provar a pizza e o gelato de chocolate do restaurante italiano Pizzeria Via Mercanti. Sou suspeita pra falar, pois amo gelato! Mas o de chocolate que eles vendem é MUITO BOM!!!!

IMG_5544.JPG

O Big Fat Burrito vai chamar a sua atenção com a fachada toda colorida que fica na esquina da Augusta Ave. com a Oxford St. Uma boa opção para os que procuram algo rápido e simples.
Se você gosta de Tacos, vá ao Mexican Salsas (249, Augusta Ave). Peça o combo de três tacos por $6,95. Muito bom! Para aqueles que acabaram de chegar e ainda estão arranhando no inglês, a Adriana, funcionária brasileira, está lá de sexta a domingo, sempre de bom humor pra te ajudar!

IMG_2569.JPG

Tacos no Mexican Salsas

IMG_5530.JPG

Sou apaixonada pela torta de maçã da Wanda’s Pie in The Sky . O local também está sempre cheio, mas não é difícil conseguir uma mesa e saborear uma das delícias que eles vendem.

IMG_5457.JPG

Uma boa dica para os brasileiros que visitam o Kensington pela primeira vez é dar uma passada numa lanchonete bem pequena chamada Segovia Foods (218, Augusta Ave). Lá você encontra salgados peruanos, colombianos e COXINHA! Isso mesmo, coxinha com Guaraná Antártica!

IMG_5526.JPG

Comecei a visitar a área com mais frequência desde que me matriculei numa academia de Muay Thai que fica na Augusta Ave. uma das ruas mais movimentadas de lá. É sempre uma diversão ir para as aulas e parar em uma das barraquinhas de frutas para comprar tudo fresquinho e mais barato do que nos supermercados.

IMG_5459.JPG

Aos sábados, sempre que termino de treinar, compro suco feito na hora com frutas orgânicas em uma banquinha que fica em uma das calçadas, próximo ao Big Fat Burrito.

IMG_2572.JPG

Artistas se apresentam nas calçadas e você vai se deparar com muita gente “descolada”. É o tipo de local que transpira multiculturalismo.

IMG_5458.JPG

Algumas pessoas meditam na rua…

IMG_5420.JPG

Street Art

IMG_2570-0.JPG

IMG_5545-0.JPG

Se você mora aqui ou está apenas visitando Toronto, reserve um tempinho para descobrir e explorar tudo que o Kensington Market oferece. Vá de estômago vazio, máquina fotográfica na mão e, se puder, livre de preconceitos!
🙂

Enfim…o frio deu lugar às flores!

Finalmente o inverno foi embora e uma das minhas estações preferidas – depois do verão, é claro – já chegou! A primavera deixa a cidade linda! As árvores, que antes estavam secas, agora já estão carregadas de flores nos mais diversos tons.
E para quem sobreviveu às temperaturas negativas do inverno maldoso de Toronto, o calor já deu as caras por aqui. Sim, porque quando a gente passa 5 meses sofrendo com o frio, passa a sentir calor quando a temperatura sobre para os 15 – 20 graus.
Opções para quem quer desbravar a cidade durante a primavera não faltam. Os bares e restaurantes da cidade já estão com os pátios abertos. Uma ótima pedida para quem não abre mão de uma boa cervejinha com os amigos ou uma deliciosa sangria numa tarde ensolarada!

20130510-213753.jpg

20130510-213825.jpg
Os parques ficam lindos! Esse é em um dos campus da Universidade de Toronto

20130510-213942.jpg

20130510-214018.jpg
Harbourfront com a Cn Tower ao fundo

20130510-214459.jpg
Os canteiros cheios de Tulipas!

Lindo, né? É por isso que eu amo essa cidade!

🙂